Loading...
CONTAMINAÇÃO POR TVHC - FixAir
skip to Main Content
CONTAMINAÇÃO POR TVHC

CONTAMINAÇÃO POR TVHC (TOTAL DE HIDROCARBONETOS VOLÁTEIS) NO AR COMPRIMIDO RESPIRÁVEL

Muitos mergulhadores conhecem os riscos que contaminantes como dióxido de carbono (CO2) e monóxido de carbono (CO) podem representar durante o mergulho, mas alguns desconhecem um inimigo tão ou mais perigoso: os hidrocarbonetos voláteis (https://fixair.com.br/qualidade-do-ar-no-mergulho/) .
Vamos entender um pouco mais sobre o assunto, identificar quais são as fontes mais frequentes de contaminação por TVHC, como avaliar se o ar fornecido pelo seu compressor está atendendo aos padrões da indústria e como evitar futuras contaminações.

“COMEÇANDO PELO COMEÇO”: O QUE SÃO HIDROCARBONETOS?

Hidrocarbonetos, como podemos deduzir pelo nome, são compostos químicos constituídos somente por carbono(C) e hidrogênio(H). São os compostos químicos mais simples estudados pela química orgânica e são à base do petróleo.
Não vamos entrar em detalhes sobre as divisões e subdivisões possíveis dos hidrocarbonetos com base na forma como as cadeias estão ligadas, a quantidade de átomos de carbono e etc, por que entendemos que isso pode gerar mais confusão do que esclarecimentos sobre o assunto aqui abordado, mas é importante entender que os hidrocarbonetos estão presentes em uma infinidade de substâncias como metano (GNV), propano e butano (gás de cozinha de botijão), tolueno (utilizado na fabricação da cola de sapateiro), etc. E isso deixa claro que produtos que usamos no dia a dia, como tintas, solventes, óleos lubrificantes, combustíveis e outros, são baseados nestes compostos químicos.

HIDROCARBONETOS VOLÁTEIS: AQUI MORA O PERIGO

A volatilidade define o quão fácil é para uma substância mudar do estado líquido para o estado gasoso. Quando nos deparamos com uma contaminação por THVC, precisamos avaliar quais fatores internos e externos ao compressor estão contribuindo para tal cenário. O primeiro “suspeito” é o óleo lubrificante utilizado no compressor. Caso a ventilação do compressor não seja adequada, o aumento da temperatura interna da máquina fará com que os hidrocarbonetos presentes no óleo sejam liberados na forma de gás e passem a contaminar o ar.

Considerando que moramos em um País tropical e que a maioria das estações de recarga opera em áreas quentes ou muito quentes, o risco de uma contaminação é real. Mesmo com um sistema de filtragem adequado, uma saturação de hidrocarbonetos vaporizados pode causar a contaminação do ar fornecido pelo compressor para recargas de cilindros ou sistemas de ar direto. Estatísticas disponibilizadas pela Trace Analytics mostram que o número de amostras de ar com contaminação por TVHC é maior no verão.

FATORES EXTERNOS – O AMBIENTE

Mas a contaminação pode ser causada também por fatores externos ao compressor, ou mais frequentemente, somada aos fatores citados acima. Se no local, ou próximo ao local da instalação do compressor forem armazenadas produtos químicos como tintas, solventes, combustíveis, materiais de limpeza e etc, podemos ter uma contaminação do ar. Outros fatores incluem a proximidade a áreas onde podemos ter exaustão de motores de carros, barcos e geradores, aquecedores a gás, indústrias químicas, fossas sépticas entre muitos outros. Outro ponto diz respeito à operação de uma estação de recargas e incluem a frequência na drenagem das purgas, a manutenção dos compressores e as trocas de óleo e filtros baseados nas recomendações dos fabricantes.

CONHECENDO OS LIMITES E IDENTIFICADO FALHAS

Diferentes aplicações do ar comprimido respirável definem diferentes limites aceitáveis de THVC. No mergulho recreativo adota-se como padrão os parâmetros grau “E”, definidos pela Compressed Gas Association que define um limite de 25ppmv* de THVC. Este é o mesmo limite adotado pela NORMAM 15 da Marinha do Brasil (https://www.marinha.mil.br/dpc/sites/www.marinha.mil.br.dpc/files/normam15.pdf) e pela Marinha Americana.

O ar comprimido para uso respirável deve ser testado por meio de um laboratório credenciado e com as devidas acreditações para as normas vigentes. Os testes devem ser conduzidos por químicos treinados, os materiais de amostragem apropriados e um instrumento de espectrometria de massa acoplado a cromatografia gasosa para garantir resultados confiáveis e precisos. Vários padrões internacionais de ar respirável exigem que um laboratório seja certificado de acordo com os padrões ISO 17025.

Sobre a Fix Air

A Fix Air oferece serviços de projeto e instalação de sistemas de recargas de ar respirável, fornecimento de consumíveis (óleo, filtros montados, carvão ativado e peneira molecular) e acessórios (sistemas de purga automática, manômetros, registros, manifolds, etc) além de serviços de análise de qualidade de ar de acordo com a especificação exigida pelo cliente (CGA grau E, CGA grau D, ar compatível com oxigênio (1994 e 2003), EAN+CGA grau E, etc). Somos distribuidores da Trace Analytics LLC, um Laboratório Credenciado pela A2LA especializado em análise de gás comprimido para as indústrias de ar respirável, manufatura e gás medicinal em todo o mundo que a mais de 29 anos mantem os mais altos padrões de qualidade da indústria.

*25ppm (partes por milhão em volume) de TVHC significa que temos 25 partes de total de hidrocarbonetos voláteis para um milhão de partes de ar.